28 de fev de 2010

Quando o coração se acalma...

Passo a me sentir mais leve. Apesar de continuar me sentindo sozinha, o peso já não é tão grande. As vezes ainda tenho vontade de gritar, mas isso é normal do ser humano.
Agradeço a Deus por não ter esquecido de mim, graças à Ele, sinto-me melhor, muito melhor. Minha alma está saltando de alegria por saber que ainda tenho a possibilidade de ser realmente feliz. Tudo em minha mente começa a esclarecer, e eu já posso compreender o incompreensível.
Não estou tão cega a ponto de pensar que ainda não sentirei aquele sufoco novamente, seria ingênuidade minha. Tudo isso é um processo, e vai acontecendo aos poucos.
Talvez agora sim eu aprenda o verdadeiro sentido de viver, ou então, posso simplesmente continuar vivendo, mais leve e mais tranquila. Sinto que são os primeiros sintomas de uma coisinha que há muito tempo não me visitava: A felicidade. Torçam por mim :)

27 de fev de 2010

Coração partido.

"O tempo é o melhor remédio... mas não é de efeito rápido."
(Caio Duran)

Imagem e frase vieram daqui. 

Tô me sentindo sufocada, preste a explodir. Não estou doente, meu problema é bem maior que isso. Parece que na felicidade foi feita pra todas as pessoas do mundo, menos pra mim. Hoje, eu me odeio. Com o mais profundo ódio que alguém pode sentir. Talvez amanhã passe, ou não.

25 de fev de 2010

Sobre mim...

"O que eu sinto eu não ajo.
O que eu ajo não penso.
O que penso não sinto.
Do que sei sou ignorante.
Do que sinto não ignoro.
Não me entendo e ajo como
se me entendesse."
Clarice Lispector

Olá pessoas, tudo bom? Hoje tive um dia muuuito cansativo, acredita que eu joguei basquete? kkkkkk' Foi um desastre e eu estou destruída. Tô me sentindo meio mole e não sei se é canseira ou se é dengue :( Esses dias, tô passando por alguns probleminhas comigo mesma, coisas do meu coração doido sabe. Ah, se interessar a alguém, essa feinha na foto sou eu, rs. Obrigadinha por cada comentário. Abraços afetuosos.

24 de fev de 2010

Então você é o amor? Prazer :)

Foi no ano de 2007. Eu era uma menina sem graça, gordinha, mal arrumada e chata -q
Ele, um cara sério, mais velho, intelectual e diferente.
Não tinha quem dissesse que, um dia, estaríamos juntos. Não, não, essa possibilidade era descartada.
Naquele tempo, tudo que eu menos tinha interesse na minha vida era o de saber o que era ~~AMOR~~
Sempre via tanta gente falar, escrever, escutar, cantar... Mas aquilo não me interessava.
Eu estava na idade de curtir, brincar, rir, passear, cantar, dançar... Amor não me importava.
Como sempre gostei de ouvir música, passava grande parte do meu tempo procurando músicas novas e legais... Um dia, eu ouvi essa música. Achei melosa, chata, enfim, um verdadeiro ECA --'
Foi então que, depois de uma série de acontecimentos, a forma como ele me tratava foi mudando. Aparentemente estava mais interessado, me dava alguns olhares.... Eu achei MEGA estranho.
Foi quando tudo foi mudando, e numa bela manhã de sol, me olhei no espelho e pensei: MEELDELS, tô apaixonada ;OOO
Era tudo muito lindo pra mim, primeiro amor, primeiro sentimento por outra pessoa que não fosse parente meu...De repente, aquela música que eu ouvi naquele dia deixou de ser melosa, chata e etc.
Por incrível que pareça, eu me apeguei a ela. Ouvia todos os dias, cantava todos os momentos. Ficava de cara pra cima, olhando pro céu, coisa que eu NEVER tinha feito na vida ;OO
Eu tava com medo de mim mesma. E você não sabe como uma música influencia nos seus sentimentos.
Ouvindo essa música, fui tendo certeza do que sentia. As dúvidas eram intensas, mas já eram entendíveis.
Eu estava alucinada, nunca tinha sentido aquilo...Cada palavra cantada na música era como se fosse pra mim..
Quando lembro do quanto eu era bobona nesse tempo, acabo rindo sozinha. Ele tomou conhecimento da música que mudou a minha vida e, de certa forma, a dele também.
Hoje, estamos com exatos 2 anos e 2 meses de namoro, e meu coração ainda canta aquela música, todas as vezes que estou com ele.


Oii amoras *-* Tudo bom com vocês? Eu já tô melhor... tava meio dódói mas já passou :)Ah, fiz esse texto para o Fuscarona, no FFV, tomara que o viits goste \õ/ E é claro, pra vocês meus leitores e leitoras fiéis também! E pra quem não conseguiu identificar a música, que eu espalhei links dela por todo o texto, basta clicar aqui. E aí, você tem alguma música que mudou a sua vida também? Conte-me mais...

22 de fev de 2010

Eu preciso...

De uma roupa nova para me olhar no espelho;
De uma amiga para desabafar o que sinto;
De um generoso pedaço de chocolate;
De um abraço bem apertado e sincero;
De um sorriso verdadeiro;
De um remédio que acalme minhas dores no corpo;
De um lugar bem lindo pra passear;
De alguém que diga que eu sou importante, de alguma forma;
De um simples "oi, vc tá realmente bem?";
De mais força pra enfrentar a solidão;
De entusiasmo para continuar vivendo, e aproveitando todas as coisas boas que ainda não tive oportunidade de aproveitar.

Pessoal, desculpem pelo post - desabafo de hoje. É que eu tô meio ruim de saúde. Com uma dor no corpo  e no dente insuportáveis e uma necessidade descontrolada de gritar. Acho que preciso de ajuda. Um médico e um ombro amigo já me serviria, rs.

19 de fev de 2010

A carência sufoca.

Abraço, aperto de mão, olhar, sorriso, um "oi". Por mais simples e insignificante que esses gestos pareçam para algumas pessoas, para outras, como eu, são extremamente importantes e necessários.
Todo ser humano, mesmo que diga que não, precisa sim receber atenção. Há pessoas que tem demais, outras que tem de menos. A partir do momento que você passa a não receber essas "atenções", fica carente.
A carência é algo terrível. Você se sente como se todo o universo tivesse esquecido de sua existência. Por mais que você viva rodeada de pessoas, você sempre pensa que está só e que ninguém tá nem ai pra você.
Quando alguém resolve notar sua existência, é como se seu mundo desabasse em alegria. A sensação de se sentir importante para alguém é inexplicável. Você passa a ter uma razão a mais pra viver. 
Só sabe a dor da carência, aquele que a tem ou quem já a teve. Ela é imprevisível, fria, terrível.
A carência emocional é a pior forma de solidão.


Pessoal, fiz o meu primeiro selinho para dar para os blogs que eu acho mega lindos! É claro que não vai dá de dedicar a todos, mas assim que puder, faço um outro e dedico a eles. Esse selinho não vai ter regras, você dedica ele pra quem você achar que merece! Pra começar, dedico para Debbys, Suri, Mari, Lara, Ana e Tai.
Ah meninas, por favor postem o selinho e dediquem pelo menos a 2 pessoas! :D Ah, pra pegar o selinho basta clicar aqui. Beijocas amores :*

18 de fev de 2010

A ética da mentira (?)

Ética significa modo de ser, caráter. A sociedade em que vivemos hoje define ética como comportamento, costumes, índole e por aí vai. A ética está presente diariamente em nossas vidas, na escola, na igreja, no trabalho e em todos os lugares que frequentamos, com raras exceções, é claro.
Então quando paramos para pensar em ética, jamais pensamos que ela esteja presente também no ato de mentir. Como é? tem ética na mentira? Mentira é uma declaração feita por alguém que acredita ou suspeita que ela seja falsa, na expectativa de que os ouvintes ou leitores possam acreditar nela. Quando minto, sempre tenho uma razão para o fazer. Pode ser para livrar minha pele de alguma situação embaraçosa ou para colocar alguém numa. Isso varia conforme o momento. Podemos dizer que, a mentira tem ética pelo fato de ela se tornar um modo de ser, passa a fazer parte do caráter da pessoa. Não há um ser humano vivo que não já tenha mentido. Apenas Jesus foi capaz de um feito desse. Mentir é natural do homem, há quem diga que já nascemos na mentira. Particularmente eu a detesto. Não suporto quando mentem pra mim e principalmente quando, sem querer acabo mentindo para alguém. Mas, compreendo algumas das razões pelas quais determinadas pessoas mentem. Posso mentir falando a verdade, e posso falar a verdade mentindo. O ser humano tem uma capacidade de "enrolar" o outro com um talento sem igual. Alguns conseguem descobrir esse talento, outros não. A mentira, assim como a ética varia de pessoa em pessoa. Não somos ninguém para julgar, mas é óbvil que também não somos obrigados a conviver com ela. Certo?

Fiz esse texto porque, ultimamente acabei descobrindo algumas mentiras que proferiram a mim. No momento, machuca muito, mas depois passa. Com isso, parei pra refletir e pensar em tudo que já vi em toda minha vida, e cheguei a conclusão do texto acima. Se mentimos, temos nossas razões. Mas não é por isso que mentir vai deixar de ser errado. Não mesmo.

17 de fev de 2010

Aprender a agradecer.

Amanhece o dia. Após uma noite de sonhos ruins, pensamentos maus e medo do que poderá acontecer no futuro, levanto da cama com um mau humor 'daqueles', bufando de raiva já que em pleno feriado, minha avó resolveu acordar 6:30 da manhã pra conversar com o meu avô na cozinha que fica em frente ao meu quarto. Abro a janela querendo que o mundo se exploda e com o que me deparo? um lindo céu azul, o sol maravilhoso e as árvores balançando ao vento. Aos poucos, aqueles sentimentos ruins foram sumindo. Lembrei-me que, por mais problemas que nós achemos que estamos passando, Deus sempre nos dá um novo dia, um novo sol, uma nova esperança. Parada em minha janela, olhei para o céu e agradeci a Deus pela minha vida, por minha família maluca, por meus amigos e por ter me dado um homem que realmente me ama. Sinto que Ele ouviu meus agradecimentos. Muitas vezes, nós aqui na terra lembramos apenas de pedir as coisas pra Deus, e esquecemos de agradecer. É por isso que o pai celestial não nos dá mais do que temos. Simplesmente porque somos ingratos. Assim como nós esperamos o agradecimento de alguém quando lhe fazemos alguma coisa boa, Deus também o quer. Caramba, pra quê presente melhor do que o próprio ar que respiramos? Deus, o senhor é o cara. Te amo.

"A gratidão é o único tesouro dos humildes"
William Shakespeare

Ah pessoal, essas fotos eu tirei hoje, na chácara onde meu irmão mora, gostaram? Dá pra ver um pouquinho da criação do papai do céu! :D Perceberam algo diferente no blog? rsrs

16 de fev de 2010

Carnaval? Fala sério ¬¬

Maldito seja aquele que inventou o Carnaval.
É uma festa nojenta, imunda, sinceramente tenho pavor só de falar nesse nome. Sou evangélica sim, mas não é isso que me faz não gostar de Carnaval. Vejo os desfiles de escola de samba na TV e sinceramente, tento encontrar a razão pela qual milhares de pessoas deslocam-se de suas casas para ficarem nuas na frente de outras.
É claro que não tenho nada contra pessoas que gostam dessa festa, afinal, gosto é que nem nariz - cada um tem o seu - e todos sabem até que ponto aguentam.
Outra coisa que eu simplesmente detesto nessa festança seboza é que, pessoas civilizadas como eu, kkkkkk ficam sem nada pra fazer, já que toda cidade está parada, não tem aula, não tem nada! HELP-ME :O
Graças a meu bom Jesus, essa besteira só acontece uma vez por ano, imagine se fosse trimestral? #trevaon
Então é isso pessoal, detesto Carnaval e ninguém vai mudar isso. Never :D

Ah, como puderam vez nos posts anteriores, eu tava um pouco mal por causa de umas coisinhas ai, mas já estou bem melhor, acho que pelo menos superficialmente os problemas foram resolvidos. Meu coração já não dói tanto como antes. Ah, queria agradecer a Jamylle pelo Layout novo, perceberam que a cada dia ela se supera mais? rsrs. E antes que eu esqueça, recebi um selinho da Chelynha! Se quiserem vê-lo, cliquem aqui. Bom, tô repassando ele pra Vic, Jamylle, Vitória e Debbys. Bjs e até a próxima!

15 de fev de 2010

Uma trilha sonora para hoje.


Você do Meu Lado - Luan Santana

Quando olhos as estrelas no céu
Lembro teus olhos de cristal
E tua boca de mel
Sentia os seus lábios se encontrando com os meus
Não consigo acreditar como tudo se perdeu
Então, deixa eu te mostrar
Porque to sofrendo assim
Se ta ruim pra você, com certeza ta pra mim
É que meu peito machucado
Só cura com você do meu lado
Corre e vem me dar
Seu coração
Não se entregue mais a uma triste ilusão
Quero seu amor, provar dos seus carinhos
Não me deixe mais chorando aqui sozinho, amor

Há momentos em que as palavras fogem, e que uma música pode mostrar o que sentimos. Queria aproveitar para agradecer a todos por estarem por aqui, lendo minhas bobagens e outras coisinhas mais. Vocês fazem a Realidade Inventada junto comigo. Obrigada por cada comentário, cada recadinho. Obrigada mesmo!

13 de fev de 2010

O que eu sinto agora.


É como se me faltasse chão. Palavras não me consolam, olhares não me iludem. Questiono-me se sou realmente tudo que dizem. Em momentos como estes, em que encontro-me agora, o mundo parece conspirar contra mim e tudo parece estar sem direção. Pensamentos ruins tentam me transformar num poço de depressão, não conseguiram ainda. Há momentos em que meus sonhos são extremamente exagerados, outros em que nem os tenho. 
Quem me conhece sabe o quão 'forte' sou perante determinadas situações. Mas existem momentos em que, essa Rebeca assemelhada a um muro forte que pode te aconselhar em qualquer situação cai. O muro se estilhaça no chão como meros cacos de vidros, e tudo que pode ser visto por trás dele é uma criança indefesa, almejando por carinho, atenção, amor.
Muitas pessoas chegam até mim pedindo ajuda, perguntando o que fazer, e admiravelmente eu quase sempre lhes tenho uma resposta. Mas hoje eu me pergunto o que fazer com minha própria vida e, adivinha, eu não sei. Sinto que o problema é comigo mesma. O futuro tem sido meu maior medo. Não sei em quem confiar, e muito menos o que sonhar.
O que eu estou sentindo nesse exato momento?
Uma vontade desesperadora de receber um abraço sincero e um simples "conta sempre comigo".

O amor.

Love Kills Slowly

Concorda comigo?


Ganhei esse selinho da Mah, obrigada flor.
Indico ele para Jamylle, Mony e Fran.
Adoro o blog de vocês meninas!

12 de fev de 2010

Eu amo morar no Acre!


ok, ok. Existe tanta gente idiota por ai que diz que o Acre não existe.
Sou acriana de berço e, adivinha? Sim, o Acre existe! õ/
Esse tipo de "gente" que abre a boca para proferir palavras tão inúteis como essas, são pessoas pré conceituosas, pois não conhecem o estado e nem sequer estudam geografia :D
Maaaas, esse post não é o desabafo de uma acriana revoltada, não não.
Resolvi te dar 5 boas razões para morar nesse estado maravilhoso!

1. Olha a bala!
O índice de assalto e mortes por balas perdidas aqui não são tão altos como em outros estados, como Rio de Janeiro, por exemplo. Aqui você pode andar traquilo nas ruas e nas praças sem ser parado até te deixarem só de calças ou não.

2. Temos céu azul.
Ao contrário de muuuitos estados por ai que se dizem "importantes" para o país, no Acre ainda podemos respirar ar puro e namorar debaixo de um céu azul.

3. O governo dá conta da gente!
Como nosso estado é pequeno, o governador consegue suprir algumas de nossas necessidades básicas. Escolas, hospitais, praças, super mercados, enfim. Ao contrários dos hospitais públicos de SP, RJ e outros, que são um verdadeiro caos. Corrijam-me se eu estiver errada, é claro.

4. Ainda vemos o verde.
O argumento principal de pessoas desocupadas por ai é que, no Acre só existem índios. Ah que dera!
Os índios estão extintos por aqui, pelo menos na capital. Seria uma honra vê-los e estudá-los, pois são proprietários de uma cultura magnífica. E ao contrário de grandes centros urbanos, ainda temos o verde disponível a nós. Só os acrianos sabem o quão gratificante é respirar um ar puro.

5. Somos os últimos a saber.
As vezes as coisas demoram um "pouquinho" para chegar até aqui, mas um dia chegam.
Mesmo com a globalização, o Acre ainda é um pouco "esquecido" pelo resto do país. O bom disso? pelo menos uma notícia ruim, ou algo muito maléfico demora algumas horinhas pra chegar até nós ;)

Por fim, espero que observem bem as razões que lhes apresentei. Termino esse post com a frase de um grande herói do povo acriano que não é chico mendes ok.

"Se a pátria não nos quer, criamos outra"
(Luíz Galvez)

10 de fev de 2010

eh... I am studying English again!


Hi guys how are you?
This week my classes started, and I discovered that English is being required in the curriculum of the third year. I was happy because I love this language, but I could see how there are people who are completely uninformed in this matter. My teacher seems nice, but the lessons are boring. I'm happy to do an English course at a private school because the English taught in public schools is completely summarized.
There are times when I help the teacher to teach, is even funny!
Sorry to make this post in English, but I had to get in the mood, rsrs
kisses :*


***
Tradução


Oi pessoal, como estão vocês?
Esta semana, minhas aulas começaram, e eu descobri que o Inglês está sendo exigido na grade curricular do terceiro ano. Eu estava feliz porque eu amo essa língua, mas pude ver como existem pessoas que são completamente leigas sobre esta matéria. Meu professor parece bom, mas as aulas são chatas. Estou feliz de fazer um curso de Inglês em uma escola privada porque o Inglês ensinado nas escolas públicas é completamente resumido.Há momentos em que posso ajudar o professor a ensinar, chega a ser engraçado! Desculpe fazer este post em Inglês, mas eu tinha que entrar no clima, rsrs
beijos :*

8 de fev de 2010

O último ano.


Sabe aquela sensação de não ter a mínima ideia do que fazer depois do ensino médio? Pois é, cá estou eu, com ela. Hoje minhas aulas começaram, 3º ano, mesmos amigos do ano passado, mesma escola, alguns professores novos, outros antigos. Hoje enquanto um dos meus professores falava aquele blá blá blá de primeiro dia de aula, eu fiquei pensando com os meus botões: Cara, eu tô no 3º ano :O Nem dá pra acreditar! Um dia desses eu tava no pré escolar, chorando porque queria ir para a primeira série ficar com a minha irmãzinha adotiva!
Pois é, o tempo voa. Fiz todo o meu ensino fundamental numa mesma escola. Era perto da minha casa, minha avó trabalhava lá. Aquela sensação de super proteção sempre estava comigo. Assim foi até a minha 8ª série. Eu tinha medo do Ensino Médio. Mudei de escola, de amigos, alguns ainda me acompanharam até lá. Fiz todo o ensino médio na mesma escola, sem a minha avó, sem super proteção, me senti mais "independente" de certa forma. E agora me vejo no último ano. Tenho muuuita vontade mesmo de entrar na faculdade, e vou lutar por isso até o fim. Mas a sensação de estar sem rumo é inevitável. Eu cresci, falta pouco para os meus 18 anos. Eu tenho medo, muito medo. Mas tenho esperança, um pouquinho. Sei que tenho pessoas que me amam e que estarão comigo, que acreditam em mim.
Sei que daqui uns anos vou sentir falta da minha infância, minha adolescência. Já vivo meu último ano com saudades dele. É único. Não vou ter de novo.
Vou aproveitar e absorver tudo de proveitoso que me for ensinado este ano.
Me desejem boa sorte!

7 de fev de 2010

Sobre o desprezo...


Só sabe o quanto ele dói aquele que o sentiu.
Meu coração está em pedaços. Mas o mundo não para pra que eu o conserte. Não mesmo.
Like I'm stupid!
Very stupid.

4 de fev de 2010

E agora? :O

Minhas dúvidas voltaram. Sim, elas regressaram e com mais intensidade que da última vez.
Como já sabem, estou a 4 dias do terceiro ano do ensino médio e ainda não sei que faculdade cursar! :O
Meu Deus, tá tão perto! Quase nem posso acreditar como o tempo passou rápido.
Ainda lembro da minha professora na creche, a que me ensinou a ler! momentoinfância
E agora estou aqui, com dúvidas e mais dúvidas. Desde criança, meu avô e meu pai alimentaram um sonho de que eu me formasse em Direito. Uma vez o meu pai disse que só teria orgulho de mim no dia da minha formatura se fosse no cur so de Direito, e que seria mais honroso pra ele dizer que a filha era formada em Direito para os amigos dele ficarem "babando", acredita?
De lá para cá, pelo fato da minha avó ter a fama de "mulher acolhedora" no bairro, muita gente já morou em minha casa, uma delas foi uma moça de aproximadamente uns 20 e poucos anos que morou conosco por 1 ano. Ela estudava Administração. Eu vivia bisbilhotando as 514485699685484 apostilas que ela tinha e ficava fascinada pelo curso. Daí nasceu outro sonho. Contei para o meu pai e adivinha? Ele me ignorou ¬¬
Em 2003, quando cursei a minha 5ª série do ensino fundamental, tive meu primeiro contato com o Inglês. Achei esquisito e engraçado, a professora falava e eu não entendia bulhufas nenhuma, apenas ria. Nos 3 anos seguidos continuava estudando Inglês, agora já entendendo um pouco, nascia um novo sonho. Quando comecei o ensino médio, na escola pra onde fui mandada não tinha Inglês! Então lá se vai eu estudar Espanhol, coisa que eu NUNCA tinha feito na vida. Não gostei da língua, muito chata e comum. Foi então que ano passado, o papai do céu me deu uma oportunidade de ouro de fazer um curso de Inglês numa escola de idiomas queeunãovoufazermarketingaquiok?
Meu sonho renasceu, cursar Letras - Português/Inglês.
Mas uma coisa eu sempre tive dentro de mim, qu ietinha e comportada em meu ser. O desejo de ser professora. Desde meus 3 anos conheci esse mundo que é ensinar, e até hoje sou fascinada. Infelizmente quando comento isso com meus professores, eles me imploram para que eu não prossiga com essa ideia.
Pedagogia, o curso que almejei e mais uma vez meu sonho foi enterrado por meus próprios professores e familiares.
Então é isso, tô aqui sem saber que direção tomar.
Devo seguir meu sonho de lecionar mesmo sabendo que o salário é lamentável?
Devo seguir o sonho da minha família de ter uma filha formada em Direito por pura vontade de se exibir por ai?
Devo seguir o sonho que tive após "devorar" as apostilas de uma estudante de Administração?
Que os céus me ajudem, e a terra não me engula!

3 de fev de 2010

A monotonia* das minhas férias.

*Monotonia - Tédio, falta de entusiasmo, etc.

Nunca tive férias assim. Desde o dia 18 de dezembro de 2009 eu estou perdidamente atordoada sem absolutamente nada de interessante para fazer #acoisatátensa
Acho que sou muito presa em casa. Sei lá, não tenho vontade de sair e, quando tenho, não sou permitida.
Meu refúgio é e sempre foi a escola. Desde criança, preferia estar lá do que em casa, talvez por sentir falta dos meus pais que estavam ocupados demais com outras coisas sem ser eu, ou talvez porque na escola minha mente estava constantemente ocupada.
Hoje, meus pais continuam com o mesmo comportamento, porém eu não. Não sinto falta deles. Toda dor que me fizeram sentir desde os 4 - 5 anos me conformou. Sou grata a minha avó por ter me suportado e ainda estar me suportando, por isso reconheço sua preocupação em me privar do mundo lá fora. É, eu entendo ela.
Mas isso não impede que a minha frustrante maravilhosa vida fique pior. Por mais que eu não saia, não me "contamine" com o mundo lá fora, minha amiga solidão me trás lembranças pavorosas de momentos infelizes do meu passado que não me fazem bem.
Estou no terceiro ano do ensino médio. É, eu consegui chegar até aqui.
Agradeço profundamente a Deus por tudo, tudo mesmo.
Aguardo anciosamente o dia 08 de fevereiro de 2010 onde poderei retornar ao meu turbulento refúgio.
Daqui para lá...

2 de fev de 2010

Saudades


Na Língua Inglesa, não encontra-se a palavra saudade. Na verdade, em nenhuma outra língua. Esse é um privilégio apenas para os falantes da Língua Portuguesa. No momento não tenho palavras para expressar o que realmente quero dizer nesse post. As lágrimas que escorrem em meu rosto me privam disso. Apenas sei que, sinto algo muito ruim. Como se cortasse meu coração ao meio. Talvez seja devido às palavras que me foram ditas hoje, ou então aos pensamentos que elas me proporcionaram. Talvez tudo isso passe se eu comer uma generosa porção de chocolate. Talvez só aumente.
Tudo que eu queria hoje era apenas um abraço, e até isso me foi negado.

"Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche."
Martha Medeiros

1 de fev de 2010

As pessoas mudam.

Sim, elas mudam. E como mudam.
As vezes por vontade própria, as vezes por pressão do sistema. Algumas mudam para melhor, outras para pior. Algumas simplesmente deixam de se importar com o que se importavam antes, sem sequer organizar um argumento caso alguém queira saber a razão da mudança. Hoje pude perceber o quanto uma mudança de outro ser humano pode afetar na minha vida. Fiquei estática, sem saber o que dizer. Não direi nada. Se a pessoa mudou, deve ter suas razões. Quem sou eu para questioná-la? Ninguém.
E exatamente assim acontecerá no dia que eu mudar meu comportamento em relação à ela. Se ela me questionar, simplesmente a direi que, quando aconteceu com ela, utilizei a melhor ferramenta de todas: O silêncio.
"O silêncio é a oração dos sábios"
Augusto Cury


Ps: Hoje fiz minha segunda viagem a Bolívia! rs
Foi muito cansativo mas em compensação os bolivianos estavam mais educados do que da primeira vez, vá entender né!