15 de set de 2012

Back home

É bom estar em casa. Não necessariamente significa dizer que é um endereço específico, ou uma estrutura física. Apenas um local. Entre, fique a vontade. Diga o que vier a mente. Grite quando der vontade. Se irrite quando assim for preciso. Se declare quando palavras não forem suficientes.

É como viver numa eterna nostalgia, mas não daquela nostalgia que dói. Sim aquela que arranca suspiros de "ah, como foi bom". É poder contar com todos mesmo quando não tiver ninguém. É ouvir a melodia do silêncio, é quebrar paradigmas e construir histórias. É uma constante insconstância. Uma inconstante constância. É ser compreendido. É simplesmente não ser entendido em nada. São palavras que vão e vem, sentimentos que sobem e descem. Sou eu. É você.

É bom estar em casa. É bom estar de volta.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Meus devaneios, você já leu... agora é sua vez de devanear :)